Arquivo da categoria: Sem Categoria

I Congresso de Neurociências e Música na UFPE

Dia 20 de novembro

7h – Credenciamento

8h30 – Apresentação artística – Orquestra de frevo da UFPE

9h-12h – Mesa Redonda: A música no cérebro

9h – O cérebro musical: inato ou adquirido? – Viviane Louro – (UFPE)

9h40 – O cérebro que não entende a música (amusia) – Clarissa Bandeira e Miguel Iago Cavalcanti – (UFPE)

10h20 – Substratos neurais do ouvido absoluto – Patrícia Vanzella (UFABC) e Raphael Bender (CEEP-RN)

11h10 – Distonia Focal – Gabriel Lins (UFPE) e Adriano Coelho (UFPE)

Mediadora: Maria José Fernandes – UNIFESP

14h-17h – Mini cursos

1 – Musicoterapia na neuroreabilitação– José Davison da Silva Junior (UFMG) – a confirmar

2 – Diálogos entre psicologia e neurociências no fazer musical – Maurício da Silva (UFPE)

3 – Neurociências e música a partir do livro Alucinações Musicais de Oliver Sacks – Pós graduandos da Especialização em Neurociências, Música e Inclusão – Mediador: Gabriel Lins (UFPE)

4 – Hullabaloo: uma experiência musicoterápica sob a luz da neurociência – Kadna Pinheiro Cordeiro (UFPE)

17h – Apresentação artística: MUCAMBO

 

Dia 21 de Novembro

7h30 – Credenciamento

8h30 – Apresentação musical: Felipe Nicodemos – Acordeon

9h – Música, Psicomotricidade e Inclusão – Pedro Boltrino (Especialmente Música – Argentina)

9h50 – Emoção, cognição musical e vulnerabilidade social – Antônio Nigro (UFPE)

10h30 – Correlatos neurais de processos cognitivos envolvidos na performance instrumental – Patrícia Vanzella – (UFABC)

11h20  Debate

Mediadora: Tadeu Lemos (UFSC)

14h–17h – Apresentação de trabalhos

Tema 1  Aprendizagem, Música e Neurociências (Mediadores: Antônio Nigro/Lisbeth Soares)

Tema 2  O cérebro musical: pesquisas com música e neurociências (Mediadores: Maria José/ Patrícia Vanzella)

Tema 3  Música e Neurociências na saúde e reabilitação (Mediadores: Viviane Louro /Tadeu Lemos)

17h30  Apresentação artística: TXAIMUS

 

Dia 22 de Novembro

7h30 – Credenciamento

8h30 – Apresentação artística: Grupo TODOTOM

9h-12h – Música e Patologias

9h – Epilepsia musicogênica – Maria José Fernandes – UNIFESP

9h50 –  Dependência química e música: aspectos neurológicos – Tadeu Lemos – UFSC

10h20  Musicoterapia no adoecimento psíquico/neurológico de estudantes universitários – (Universitat de Valência – Espanha)

Mediadora: Patrícia Vanzella (UFABC)

14h-17h – Mini cursos

1 – Atividades musicais com psicomotricidade para educação e reabilitação – Júnior Cadima – (IBFE – SP)

2 – Propostas musicais na perspectiva da Educação Inclusiva: como atender à diversidade na sala de aula? – Lisbeth Soares (FASCS)

3 – Intervenções musicais para pessoas com Esclerose Lateral Amiotrófica   – Tatiana Lins Carvalho (HUOC/UPE)

4 – Interfaces entre educação musical inclusiva e musicoterapia: atividades práticas – Pedro  Boltrino (Especialmente música – Argentina)

17h30 – Apresentação artística – GRUPO CÊNICO MUSICAL CATATREKO

 

MAIORES INFORMAÇÕES E INSCRIÇÃO: https://www.even3.com.br/congressoneuromusica/

 

Tecnologia, Música e Diversidade

Nos dias 21, 22 e 23 de Novembro de 2018 ocorrerá na Universidade Federal de Pernambuco o IV Encontro de Educação Musical Inclusiva que esse ano terá o tema Tecnologia, Música e Diversidade (TeMuDi).

O evento contará com profissionais da área de música todos voltados para trabalhos inclusivos com a tecnologia como ferramenta.

O evento é uma realização dos departamentos de música da UFPE e UNICAMP. O TeMuDi contará com apresentação de trabalhos que serão publicados na revista Nics Report.

Não deixem de participar e enviar trabalhos.

Maiores informações no site: www.temudi.wordpress.com

cartaz

 

III Encontro de educação musical e inclusão da UFPE

E nos dias 02, 03 e 04 de Outubro de 2017 ocorreu na Universidade Federal de Pernambuco o III Encontro de educação musical e inclusão, organizado pelo Laboratório de Educação Musical Inclusiva (LEMEI) e promovido pelo departamento de música da UFPE.

Foi um evento cheio de aprendizado, muitas pessoas interessadas em fazer a diferença e com muitos profissionais altamente qualificados.

Seguem as fotos do evento e ano que vem tem mais…

 

III ENCONTRO DE EDUCAÇÃO MUSICAL E INCLUSÃO DA UFPE

 

INSCRIÇÕES ATÉ DIA 25 DE SETEMBRO:

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

DIÁLOGOS ENTRE MÚSICA, NEUROCIÊNCIAS E INCLUSÃO

Dia 02 – Segunda-feira

8h-9h – Credenciamento

9h-10h30 – Palestra: Bases neurológicas da música – Viviane Louro

10h30-11h30 – Palestra: Música, neurociências e inclusão de adolescentes em risco social – Antonio Nigro

11h30-12h – Debate e perguntas

12h-14h- Almoço

14h-17h – OFICINAS

1. Estimulação neurocognitiva e psicomotora para pessoas com deficiências através da música– Junior Cadima (música/neuroeducação)

2. Atividades pedagógicas para pessoas com distúrbio de processamento auditivo central – Andrea Coelho (fonoaudiologia)

3. A aplicação da música nas pesquisas em neurociências – Mauricio Silva (psicologia/neurociências)

Dia 03 – Terça feira

9h-11h30 – MESA REDONDA: PROJETOS DE MÚSICA, INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE

  • Na batida da inclusão – Junior Cadima (música/neuroeducação)
  • Projeto inclusivo do Conservatório de Pernambuco – Daniela Genuino
  • Tá na pele: musica, surdez e Libras
  • Sustentabilidade com acessibilidade: Banda Balaio Sonoro – Paulo Junior e Juracy Pereira
  • Debate e perguntas
  • 11h30 – 12h – Apresentação artística: Banda balaio sonoro

12h-14h – Almoço

14h-17h – OFICINAS

4. Motivação no ensino de música – Arthur Fabiano (música)

5. Construção de instrumentos musicais acessíveis e sustentáveis – Juracy Pereira e Flavio Soares (Música)

6. Atividades, materiais e estratégias para educação musical inclusiva – Daniela Genuino

Dia 04 – Quarta-feira

9h-12h – MESA REDONDA: DIÁLOGOS ENTRE HUMANIZAÇÃO, NEUROCIÊNCIAS E MÚSICA

  • A Humanização pela arte na saúde e educação – Rafael Nascimento Barreiros (teatro/saúde)
  • Projetos de música do Hospital das Clinicas – Claudia Angela Buril (medicina) e  Artur Ortenblad (música)
  •  Música no Hospital: relatos de experiências – Alunos de Licenciatura em música da UFPE
  • O que acontece no cérebro no processo de humanização? – Gabriel Lins (neurociências)
  •  Perguntas e debate

12h – 14h- almoço

14h – 17h – OFICINAS

7. Interfaces entre educação musical e musicoterapia: atividades práticas – Ozani Malheiros (musicoterapia/música)

8. Aprimoramento da memória para o aprendizado pela Neurociências – Gabriel Lins

9. O uso da Libras em atividades musicais para surdos – Aida Barroso

 

Música e surdez: uma experiência com a Orquestra de Santo André

Dia 21 de Setembro, tive o privilégio de participar do concerto-oficina para surdos oferecido pela Orquestra Sinfônica de Santo André. A iniciativa veio do maestro Abel Rocha, que inclusive, foi meu professor na faculdade de música. Foi um reencontro ótimo entre a gente e outros queridos amigos da orquestra e uma oportunidade única de fazer um trabalho diferente e inovador na cidade com o intuito de viabilizar a experiência musical para os surdos da região.

Fizemos uma oficina com diversas atividades lúdicas que associavam o som a elementos visuais para que os surdos pudessem entender alguns elementos musicais tais como vibração, pulso, ritmo, agrupamento musical, dentre outros. Depois a orquestra tocou o primeiro movimento da sinfonia 5 e a trilha do Star Wars e os alunos surdos puderam tocar os instrumentos no palco enquanto a orquestra tocava.

Para mim também foi uma experiência nova e muito interessante pois foi a primeira vez que ouvi um concerto de orquestra do meio da orquestra. Para os surdos foi uma experiência incrível que fizeram com que se encantassem pela música e ficassem com vontade de aprende-la. Agora, outras iniciativas como esses precisam acontecer e as escolas de música precisam se munir de recursos para oferecer este aprendizado milenar aos surdos também.

Em breve um documentário sobre o processo todo…

14344789_1271242236228403_1650901021757462043_n 14390662_1271249046227722_9117161524145185198_n 14390706_1271242232895070_6316950943234569046_n 14446138_1271237629562197_3953638734001812927_n 14484933_1479597265387571_8495812539340986242_n

Curso de Música e Neurociências…o primeiro de 2016

E dias 23 e 24 de Janeiro de 2016 tive o prazer de oferecer novamente o curso de Música e Neurociências, no Espaço Pedagógico de Artes. Esse curso foi duplamente importante, primeiro porque foi o primeiro de 2016 e segundo porque inauguramos assim nosso Espaço novo em São Paulo.

Pessoas legais, felizes, dedicadas e com vontade de discutir sobre educação…assim que gosto !!!!! Obrigada turma, adorei !!!

 

1 2 3 4

Intercâmbio Internacional

Segue reportagem sobre o Intercâmbio Internacional que fiz com meus alunos do Espaço Pedagógico de Artes e o Drake Music…um dia muito especial.

Só tenho a agradecer ao Ben Glass, amigo querido do outro lado do mundo e Ednaldo Santos, amigo querido desse lado do mundo…e é assim: juntando esforços quem sabe um dia chegamos lá…Que a Música seja para todos !!!

DM Blog

Outernational Music

Black and white photo of Ben Glass, smiling at cameraDrake Music Associate Musician Ben Glass here tells us more about his Outernational Music project with Ashton Park School & a group of young Brazilian musicians.


Two small groups of students from Ashton Park School in Bristol have been collaborating remotely with another group of young disabled and non-disabled musicians from São Paulo led by Viviane Louro, a practitioner, researcher and author in the field of music and inclusion.

Young musicians from Ashton Park School

A doctor in Neuroscience, she plays an instrumental part in Brazil’s slowly developing field of inclusive music education, working in a professional theatre troupe, training teachers and publishing a series of books on the subject.

Using Skype and online blogging as their platforms, the collective shared their ongoing compositions using Soundcloud and discussed the musical processes they were exploring, including generative music and the retelling of Brazilian folk stories.

Skyping with young disabled musicians in Brazil

Their face-to-face meeting this week was an exciting culmination of all their work, research and communications. Students performed the pieces they had practised, interviewed each other on cultural matters and discussed Accessible Music Technology.

The Bristol students were thrilled to hear the three pieces their collaborators had prepared; Brazilian classics from the 1940’s-60’s. There was a stark contrast in the instrumentation; the São Paulo group played a mixture of mallet instruments and samba percussion, while the Bristolians used iPads, Soundbeam and switch triggers.

Student Rosie observed: ‘We felt lucky because they didn’t use gadgets and computers as they don’t have as many resources’

Rosie recording drums for Outernational Music Blog
Rosie recording drums

Viviane confirms: ‘schools here are not adapted for disabled students and AMT in Brazil is almost non-existent. Teachers are not equipped or trained on using accessible materials or equipment. However, there are some strong Brazilian NGO’s that drive a gradual change in direction in terms of attitudes to disability and music.’

The future seems bright. Ashton Park is now authorized to deliver AQA awards – unique records of achievement that formally recognize skills the students have developed.

The AQA recently informed me that ‘Music qualifications are not restricted to the UK. There are schools in other countries that teach AQA specifications for Music’.

It feels as though these awards could be achieved through parallel learning: using relatively accessible tools like Skype, two classrooms can be brought together with very positive results.

The project’s knock-on effects have been significant. Their tutor Amy observed: ‘Not only did I notice a higher level of confidence verbally, but also a keen interest in emailing, blogging and texting each other from their phones, that in turn has increased their social communication outside of school. They showed a strong sense of pride. This project has been particularly beneficial, but from my observations every Drake session the students have had has encouraged their confidence and self esteem to flourish, which has been noticeable throughout the last 18 months.’

Student Callum Carpenter commented: ‘It’s important to do what we’re doing. When it’s on our blog I want to share it with people. I feel more calm and confident after doing Drake Music’.

His colleague Rosie told us that ‘My parents were really proud of me – if I can Skype people in Brazil, I can Skype anyone and I’d love to! We feel much more independent, more like adults now’.

READ MORE:

LISTEN:

Hear all the Ashton Park tunes on our Soundcloud, or listen below:

RETIRADO DE: http://www.drakemusic.org/blog/becky-morris-knight/outernational-music/

 

Educação Democrática

Hoje tive uma experiência muito interessante e importante. Fui visitar o colégio Viver em Cotia. Um colégio lindo com cara de sítio, muitas árvores, passarinhos e gente diferente. É uma escola democrática. Lá eles não tem provas nem notas, somente conceitos a partir de portifólio e relatórios. Lá tudo é decidido democraticamente com assembleias semanais e os alunos, além das aulas tem projetos pessoas e matérias eletivas…um sonho de lugar e uma educação diferente que funciona. Para começar quem apresentou a escola toda foram 3 alunos de 12 anos e eles mesmo disseram que aprendem muito mais do que em escolar convencionais e são felizes pois aprendem a estudar e a gostar de aprender…Se um aluno quebra algo, ele conserta ou arranja um jeito de arrecadar verba para o conserto (sem pedir para os pais). Os alunos produzem materiais e vendem em feiras e assim aprendem matemática, economia, empreendedorismo, etc…eles estudam por pesquisas individuais ou coletivas e cada um escolhe o seu projeto de pesquisa…eles podem fazer a lição na sala, no jardim, no pátio, na biblioteca…todos os espaços da escola são ocupados como espaços de aprendizagem…Professor media, não ensina…mundo perfeito !!!!

 

…ai, ai…quando todas as escolas serão assim?

 

 

foto3 foto 5 foto 4 foto 2 foto 1

Navegando em outros mundos

Na data de hoje, 15 de Agosto e 2015, eu e meu fiel escudeiro Marcilio Miranda participamos I Jornada científica de musicoterapia e XIV Fórum Paulista de musicoterapia que ocorreu na FMU em SP. Eu participei de uma mesa redonda e Marcilio ofereceu uma oficina sobre tecnologia e música.

Foi muito legal, produtivo, além de revermos queridos amigos…Obrigada pelo convite…

20150815_120024 20150815_120934 20150815_120954 20150815_140154

Uma homenagem…

Hoje é um dia especial…estou muito feliz…Fui homenageada no CAEM, um dos maiores Congressos de música do Brasil…muita gente conhecida e pessoas que ainda não conheço…confesso que fiquei um pouco envergonhada quando me chamaram no palco, pois eu não esperava mesmo…nunca fui homenageada desse jeito…mais de 500 pessoas assistindo…

Minha mãe e meu namorado me enganaram direitinho…Valéria Forte, a mentora intelectual disso tudo combinou com eles, pessoal do Empório Musical fez o troféu…

Obrigada Valéria Forte…obrigada a todos que de forma direta ou indireta me ajudaram a chegar até aqui…

Bom saber que o trabalho é reconhecido e que apesar de ter tanta gente que “não vai muito com minha cara” ou que se incomoda por eu ser tão direta nas minhas colocações, que tem tantas outras que gostam tanto de mim.

Ouvir que eu sou uma das maiores educadoras de música do Brasil com um trabalho único e diferenciado realmente me deixou emocionada…espero continuar tendo saúde e sanidade mental para continuar lutando por uma educação melhor em nosso país.

E como sempre digo: Que a música seja para todos !!!

premio 1 premio 2

premio vivi e premio